domingo, 23 de fevereiro de 2014

Eclipse Lunar Total será visto no Brasil em abril





Durante o ano de 2014 ocorrerão 4 Eclipses: 2 Eclipses do Sol e 2 Eclipses da Lua. Os Eclipses sempre mantiveram uma posição privilegiada quando se trata de astronomia e observação celeste. Mesmo para as pessoas leigas ou desinteressadas no assunto, a observação de um Eclipse Solar Total, por exemplo induz as pessoas a observarem o céu. Antigos tinham o eclipse como mal presságio, algumas tribos antigas batiam os tambores em cerimônia para afastar um possível dragão que encobria a luz do Sol. 


O primeiro Eclipse deste ano será visto em todo território do Brasil. 


Para alguns estados, com o AC, MT, MS, RO e RR, o horário de início do fenômeno é 00:54 do dia 15 de abril. Nos demais estados, o eclipse começará às 01:54, ponto máximo às 04:46 e término às 07:38. O evento terá uma magnitude penumbral de 2.318 (essa é a fração da Lua obscurecida pela entrada de penumbra da Terra) e magnitude umbral de 1.291 (fração da Lua obscurecida pela umbra da Terra).

Compartilhe para que mais pessoas possam desfrutar deste grande evento astronômico!

Publicado por: Felipe Sérvulo

Fonte: Previsões Eclipse por Fred Espenak e O'Byrne Chris (NASA's GSFC).

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Natal, uma festa pagã!


Foto: Natal, uma festa pagã!

Ao contrário do que muitos pensam o natal não é uma festa cristã. A prática de festejar o natal foi introduzida na igreja em fins do século IV. A palavra natal em inglês é christmas, a união de duas palavras, christ e mass que significa missa de Cristo ou missa de natal.

O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a saturnália e o solstício de inverno, em adoração ao deus-sol, o sol invictus. O deus-sol é muito provavelmente, uma indicação de Ninrode mencionado em Gênesis 10:8-10. Este festival de inverno era chamado a natividade do sol. A festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro. (Hoje sabemos que a data corrigida do Solstício de Inverno é 21 ou 22 de dezembro).

Saturnália é referente a saturnal, do latim saturnale, indica o deus saturno ou as festas em sua honra.

A prática de trocar presentes era, segundo nos informa Tertuliano, parte da saturnália. Não há nada de errado em dar presentes. Os israelitas davam presentes uns aos outros em tempos de celebração (Et.9:22). Mas alguns têm procurado ligar os presentes de natal com aqueles que Jesus recebeu dos magos. O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de natal àqueles que se aproximassem de seu abeto sagrado.

Como já falamos também aqui, A árvore de natal também tem suas origens no paganismo. 

A fim de justificar a celebração do natal muitos tentaram identificar os elementos pagãos com símbolos bíblicos. Jesus, por exemplo, foi identificado com o deus-sol. Tertuliano teve que assegurar que o sol não era o Deus dos cristãos, e Agostinho denunciou a identificação herética de Cristo com o sol. O salmo 84:11 diz que Jesus é sol. Mas este versículo não está dizendo que Jesus é o deus sol ou que o sol é um deus, mas que assim como o sol ilumina toda a humanidade, Jesus é a Luz que alumia todos os homens (Veja Lc.1:78,79 e Jo.1:9). O Termo Sol, nesse caso, poderia significar uma nova luz, no caso de Jesus e dos outros deuses, seria uma luz para a humanidade. O paganismo da Igreja católica ainda é muito visto em obras de arte e nos símbolos, porém não tão divulgada.

Segundo os astrônomos, a Estrela de Belém, outro símbolo natalino, foi na verdade  uma conjunção tripla de  Júpiter, Saturno e da constelação de Peixes, argumento este dito no século XX, pelo prof. e astrônomo Karlis Kaufmanis. Outra teoria recente diz que a estrela foi uma Supernova ou Hipernova que teria explodido perto da galáxia de Andrômeda na época. 

O Natal, bem como o Ano Novo e as nossas Festas Juninas são, por sua vez, festas totalmente dedicadas aos astros celestes e não a pessoas por assim dizer, porém o homem com todo o seu antropomorfismo e egocentrismo estabeleceu certas tradições sem nem contar a verdadeira história as pessoas do mundo. 

Agora que vocês sabem a verdadeira essência do Natal, nada melhor que desejar um FELIZ NATAL, afinal, o conhecimento é o verdadeiro presente para a humanidade!

Postado por: Felipe Sérvulo
Ao contrário do que muitos pensam o natal não é uma festa cristã. A prática de festejar o natal foi introduzida na igreja em fins do século IV. A palavra natal em inglês é christmas, a união de duas palavras, christ e mass que significa missa de Cristo ou missa de natal.

O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a saturnália e o solstício de inverno, em adoração ao deus-sol, o sol invictus. O deus-sol é muito provavelmente, uma indicação de Ninrode mencionado em Gênesis 10:8-10. Este festival de inverno era chamado a natividade do sol. A festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro. (Hoje sabemos que a data corrigida do Solstício de Inverno é 21 ou 22 de dezembro).

Saturnália é referente a saturnal, do latim saturnale, indica o deus saturno ou as festas em sua honra.

A prática de trocar presentes era, segundo nos informa Tertuliano, parte da saturnália. Não há nada de errado em dar presentes. Os israelitas davam presentes uns aos outros em tempos de celebração (Et.9:22). Mas alguns têm procurado ligar os presentes de natal com aqueles que Jesus recebeu dos magos. O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de natal àqueles que se aproximassem de seu abeto sagrado.

Como já falamos também aqui, A árvore de natal também tem suas origens no paganismo.


A fim de justificar a celebração do natal muitos tentaram identificar os elementos pagãos com símbolos bíblicos. Jesus, por exemplo, foi identificado com o deus-sol. Tertuliano teve que assegurar que o sol não era o Deus dos cristãos, e Agostinho denunciou a identificação herética de Cristo com o sol. O salmo 84:11 diz que Jesus é sol. Mas este versículo não está dizendo que Jesus é o deus sol ou que o sol é um deus, mas que assim como o sol ilumina toda a humanidade, Jesus é a Luz que alumia todos os homens (Veja Lc.1:78,79 e Jo.1:9). O Termo Sol, nesse caso, poderia significar uma nova luz, no caso de Jesus e dos outros deuses, seria uma luz para a humanidade. O paganismo da Igreja católica ainda é muito visto em obras de arte e nos símbolos, porém não tão divulgada.

Segundo os astrônomos, a Estrela de Belém, outro símbolo natalino, foi na verdade uma conjunção tripla de Júpiter, Saturno e da constelação de Peixes, argumento este dito no século XX, pelo prof. e astrônomo Karlis Kaufmanis. Outra teoria recente diz que a estrela foi uma Supernova ou Hipernova que teria explodido perto da galáxia de Andrômeda na época.


O Natal, bem como o Ano Novo e as nossas Festas Juninas são, por sua vez, festas totalmente dedicadas aos astros celestes e não a pessoas por assim dizer, porém o homem com todo o seu antropomorfismo e egocentrismo estabeleceu certas tradições sem nem contar a verdadeira história as pessoas do mundo.


Agora que vocês sabem a verdadeira essência do Natal, nada melhor que desejar um FELIZ NATAL, afinal, o conhecimento é o verdadeiro presente para a humanidade!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A STEREO e a SOHO já mostram a aproximação de ISON que já está a poucas horas da fornalha Solar!


Foto: Curtam Mistérios do Universo 

A STEREO e a SOHO já mostram a aproximação de ISON que já está a poucas horas da fornalha Solar!

Falta 1 dia para o cometa ISON atingir o periélio do Sol e passar pela sua maior prova gravitacional. As sondas #SOHO( Solar and Heliospheric Observatory)  e #STEREO (Solar TErrestrial RElations Observatory)  que são os nossos olhos em direção ao Sol, já estão acompanhando essa trajetória. 

A esquerda da imagem vemos  #ISON  indo em direção ao Sol, passando por Mercúrio (ao fundo) e a Terra, capturadas pela sonda STEREO no período de 20 a 25 de novembro (Vídeo http://youtu.be/nZi4Ecu_cfY).

A direita vemos a aproximação de ISON dentro do campo de observação da LASCO C3 da SOHO, nesta quarta feira 27 de novembro de 2013.

Mais informações: 
Apollo 11 - http://goo.gl/rhlkD5
NASA - http://goo.gl/bmfYef

Postado por: Felipe Sérvulo


A STEREO e a SOHO já mostram a aproximação de ISON que já está a poucas horas da fornalha Solar!


Falta 1 dia para o cometa ISON atingir o periélio do Sol e passar pela sua maior prova gravitacional. As sondas #SOHO( Solar and Heliospheric Observatory) e #STEREO (Solar TErrestrial RElations Observatory) que são os nossos olhos em direção ao Sol, já estão acompanhando essa trajetória. 


A esquerda da imagem vemos #ISON indo em direção ao Sol, passando por Mercúrio (ao fundo) e a Terra, capturadas pela sonda STEREO no período de 20 a 25 de novembro (Vídeo http://youtu.be/nZi4Ecu_cfY).


A direita vemos a aproximação de ISON dentro do campo de observação da LASCO C3 da SOHO, nesta quarta feira 27 de novembro de 2013.


Mais informações: 

domingo, 24 de novembro de 2013

Matrix: nós vivemos em um mundo simulado?




Se você acredita na franquia Matrix, o que achamos que é a nossa vida cotidiana é, na verdade, uma simulação gerada por um computador todo-poderoso. No entanto, esta ideia pode não ser simplesmente ficção científica: “raios cósmicos” podem revelar que estamos realmente vivendo em um universo simulado.

De acordo com a revista “Discover”, os físicos podem nos oferecer a possibilidade de testar se vivemos em nossa própria Matrix virtual, através do estudo da radiação espacial.

Os raios cósmicos são as partículas mais rápidas que existem e se originam em galáxias distantes. Elas sempre chegam à Terra com uma energia máxima específica de 1020 de elétron-volts. Se há uma energia específica máxima para as partículas, então isto dá origem à ideia de que os níveis de energia são definidos, específicos e limitados por uma força externa.

Assim, de acordo com a pesquisa, se os níveis de energia de partículas podem ser simulados, também poderia o resto do universo. O “teste de raios cósmicos” foi desenvolvido por Silas Beane, um físico nuclear da Universidade de Washington (EUA), e envolve cientistas construindo uma simulação do espaço utilizando uma grade ou grelha.

Eles calcularam que a energia das partículas no interior da simulação está relacionado com a distância entre os pontos da rede, e que quanto menor for o tamanho da estrutura, maior a energia que as partículas podem ter.

Até hoje, houve muitos esforços para descobrir a verdade sobre o universo e a realidade simulada. Em 2003, o filósofo Nick Bostrom apresentou a ideia de que podemos estar vivendo em uma simulação de computador executada por nossos descendentes, porém foi Beane e os seus colegas que sugeriram que um teste mais concreto da hipótese de simulação precisa ser realizado. No ano passado, Beane falou de seus planos para recriar uma realidade simulada usando modelos matemáticos conhecidos como a abordagem do retículo cromodinâmico quântico (ou retículo QCD, do inglês quantum chromodynamics).

Se, de fato, vivemos em um universo simulado semelhante à Matrix, Beane tem um aviso. Ele disse à revista que os “simuladores” que controlam o nosso universo podem muito bem ser simulações eles mesmos. Como um “sonho dentro de um sonho”, esse tipo de efeito pode tornar todo o estudo científico sem sentido.

“Se nós somos de fato uma simulação, seria uma possibilidade lógica que o que estamos medindo não são realmente as leis da natureza, mas uma espécie de tentativa de algum tipo de lei artificial que o simuladores criaram”. Complexo, não?

Alguns acadêmicos são céticos em relação à “teoria da Matrix”. O professor Peter Millican, que dá aula em um curso de filosofia e ciência da computação na Universidade de Oxford (Reino Unido), acredita que ela poderia ser falha, em última instância. “A teoria parece ser baseada no pressuposto de que ‘supermentes’ fariam as coisas da mesma forma que nós a fazemos”, afirma.

“Se eles acham que este mundo é uma simulação, então por que acham que as ‘supermentes’ – que estão fora da simulação – seriam restritas aos mesmos tipos de pensamentos e métodos que nós?”, contesta Millican. “Eles assumem que a estrutura final de um mundo real não pode ser como uma grade e também que as supermentes teriam que implementar um mundo virtual usando grades. Nós não podemos concluir que uma estrutura de grade é uma evidência de uma realidade inventada apenas porque as nossas formas de implementação de uma realidade falsa envolvem uma grade”. Mais complexo ainda, não?


O professor, no entanto, acrescenta que ele acredita que é benéfico realizar pesquisas para tais teorias. “É uma ideia interessante e é saudável ter algumas ideias malucas. Não podemos censurar ideias conforme parecem sensatas ou não, porque, às vezes, novos e importantes avanços parecerão maluquice à princípio”, diz. 

Fonte: [The Telegraph/ HypeScience]

sábado, 16 de novembro de 2013

Físicos querem construir o VLHC, o sucessor do LHC

É ou não é?


Poucas descobertas científicas mostraram-se tão controversas quanto o bóson de Higgs.
Físicos querem construir o VLHC, o sucessor do LHC
O LHC sofreu grandes atrasos por problemas nos seus circuitos supercondutores de 14 teslas. O VLHC precisaria de magnetos de 20 teslas.[Imagem: CERN]

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Cometa ISON - Trajetória, destino e plenitude


Saiba como será a trajetória do "Comenta do Séculos" nos próximos dias

Astrônomos profissionais e amadores de todo o planeta aguardam ansiosos a aproximação do Cometa ISON (C/2012 S1) que promete fazer seu espetáculo quando se aproximar de nosso Sol no final deste ano. 

Atualmente o comenta já pode ser visto com auxílio de telescópios ou binóculos antes da aproximação total do Sol em 28 de novembro deste ano. 

Existem algumas possibilidades do destino do cometa. 

Possibilidade nº 1 - O comenta ISON contornará o Sol de acordo com as previsões da mecânica estatística e gravitacional, deixando um rastro característico e uma chuva de meteoros ocasional.

Possibilidade nº 2 - O comenta mergulhará no Sol já que o mesmo não poderá ter uma velocidade de escape para sair do campo gravitacional do Sol 

Possibilidade nº 3 - ISON se partirá em vários pedaços devido as forças de maré geradas antes de atingir o periélio. 

Possibilidade nº 4- ISON entra em Outburst, uma possibilidade pouco provável porém possível, que faz com que um cometa repentinamente perca muita massa e passa a brilhar centenas de vezes. 

Então quando poderemos ver o Cometa #ISON?

No dia 28 de novembro, o cometa se aproxima dentro de cerca de 1,2 milhão km da sua superfície visível do Sol. Aqui no Brasil, segundo as previsões, o cometa poderá ser visto nas manhãs anteriores do periélio que acontecerá dia 28 de novembro, quando sua cauda (coma) formada por gelo sublimada pela ação dos ventos solares, dará seu espetáculo esperado.

Quanto mais próximo do Hemisfério Norte, melhores serão as condições para a observação do cometa, uma vez que a órbita de ISON favorece mais aos observadores daquele hemisfério. Se ISON contornar o Sol como o esperado pelos modelos matemáticos, ambos os hemisférios serão contemplados.

Segundo a #NASA, em 26 de dezembro, o cometa aproximará de nosso planeta (se caso sobreviver) a 64,2 milhões quilômetros, ou cerca de 167 vezes mais distante do que a lua, e será visível durante a luz do dia!

Atenção: Nunca olhe diretamente para o Sol usando binóculos e telescópios. As suas lentes irão concentrar a luz do Sol nas suas retinas e você poderá ter graves lesões na visão!

Referências: 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...