quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sonda da NASA pode ter detectado o planeta Nibiru!



O observatório espacial Wide-field Infrared Survey Explorer (WISE), da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), pode ter encontrado o quase mitológico Planeta X, um filho rebelde do Sol que prefere viver bem longe de casa. Embora tenha sido lançado com a expectativa de encontrar uma Estrela X, parece que o Planeta X é um achado mais provável da sonda. O observatório WISE já terminou sua coleta de dados e atualmente está em hibernação no espaço, à espera de um possível uso futuro, enquanto os cientistas trabalham sobre os dados.


Uma divulgação preliminar das primeiras 14 semanas de dados está prevista para abril de 2011 e a versão final da pesquisa completa para março de 2012. Contudo, nesta semana, a NASA divulgou uma sugestiva coleção de perguntas e respostas sobre a teoria do Planeta X. A reportagem se refere a um artigo de John Matese e Daniel Whitmire, onde os cientistas defendem que os dados coletados pelo WISE podem ter registrado o Planeta X, que eles chamam de Tique (Tyche), a irmã boazinha da deusa Nêmesis.



WISE é um telescópio que enxerga o universo em infravermelho. Seu nome é uma sigla para Wide-field Infrared Survey Explorer - pesquisa exploratória em infravermelho com visão de campo largo, em tradução livre. Lançado em dezembro de 2009, ele escaneou uma vez e meia o céu inteiro em quatro comprimentos de onda do infravermelho, capturando mais de 2,7 milhões de objetos no espaço, de galáxias distantes até asteróides e cometas relativamente próximos à Terra.



Como continuava em boa saúde ao final dessa que era sua missão primária, completou uma missão estendida, na qual foi feita uma varredura completa do cinturão de asteróides e duas varreduras completas do universo mais distante, em duas faixas de infravermelho. Até agora, contam entre as descobertas da missão vários corpos celestes anteriormente desconhecidos, incluindo uma estrela, uma anã marrom ultrafria, 20 cometas, 134 objetos próximos da Terra (NEOs), mais de 33.000 asteróides no cinturão principal entre Marte e Júpiter e até um belíssimo pássaro celeste.



Planeta X - Alguns astrônomos afirmam que pode existir um enorme planeta, maior do que Júpiter, orbitando o Sol, mas com uma órbita tão distante que o colocaria dentro de uma estrutura chamadanuvem de Oort, que por ela mesma é uma estrutura hipotética, uma espécie de depósito que os astrônomos acreditam ser a fonte de todos os cometas que atravessam o Sistema Solar. Veja abaixo os esclarecimentos divulgados pela NASA, na forma de um FAQ do Planeta X.



Quando os dados do WISE poderão confirmar ou descartar a existência do hipotético planeta Tyche? É muito cedo para saber se os dados do WISE confirmam ou descartam um objeto grande na nuvem de Oort. Serão necessárias análises ao longo dos próximos dois anos para determinar se realmente o WISE detectou esse mundo ou não. As primeiras 14 semanas de dados, que serão divulgadas em abril de 2011, provavelmente não serão suficientes. O levantamento completo, com divulgação prevista para março de 2012, deverá proporcionar mais informações. Depois que os dados do WISE forem totalmente processados, liberados e analisados, a hipótese da existência de Tyche, feita por Matese e Whitmire, poderá então ser testada.



É certeza que o WISE teria observado tal planeta, se ele existir? É provável, mas não uma conclusão definitiva, que o WISE poderia confirmar ou não se Tyche existe. Como o WISE examinou o céu inteiro uma vez, e depois cobriu o céu inteiro novamente em duas de suas bandas infravermelhas seis meses depois, ele poderia ver uma mudança na posição aparente de um grande planeta na nuvem de Oort, nesse período de seis meses. As duas bandas utilizadas na segunda varredura do céu foram escolhidas para identificar estrelas frias muito pequenas - as anãs marrons - que são muito parecidas com planetas maiores do que Júpiter, como se supõe que Tyche seria.



Se Tyche existe de fato, por que teria levado tanto tempo para encontrarmos um outro planeta do nosso Sistema Solar? Tyche seria muito frio e com um brilho tênue demais para que um telescópio de luz visível pudesse captá-lo. Telescópios sensíveis na faixa do infravermelho podem captar o brilho de um objeto assim, se estiver olhando na direção certa. O WISE é um telescópio sensível de infravermelho que olha em todas as direções.



Por que o planeta hipotético é chamado de Tyche, e por que escolher um nome grego quando os nomes de todos os outros planetas derivam da mitologia romana? Na década de 1980 foi sugerida a existência de um companheiro diferente do Sol. Propôs-se que esse objeto, batizado com o nome da deusa grega Nêmesis, explicaria as extinções em massa periódicas na Terra. Nêmesis teria uma órbita altamente elíptica, perturbando os cometas na nuvem de Oort aproximadamente a cada 26 milhões de anos, enviando uma chuva de cometas em direção ao interior do Sistema Solar. Alguns desses cometas teriam se chocado com a Terra, causando resultados catastróficos para a vida. Análises científicas mais recentes já não dão apoio à idéia de que as extinções na Terra acontecem em intervalos regulares. Assim, a hipótese de Nêmesis não é mais necessária. No entanto, é possível que o Sol tenha um companheiro distante, nunca visto, em uma órbita mais circular, com um período de alguns milhões de anos - que não causaria efeitos devastadores para a vida na Terra. Para distinguir esse objeto da malévola Nêmesis, os astrônomos escolheram o nome de sua benevolente irmã na mitologia grega, Tyche. Fonte; Portal UFO
Deusa Grega Tyche
Considerações do Blog 2012

Nibiru tem um periodo de aproximação de 3.660 anos que é o tempo que o planeta X leva para completar sua orbita. Da vez que ele passou pelos olhos da civilização Suméria, que era portadora de uma incrível calculadora astronômica, foi traçado uma rota para a proxima aparição que seria agora em 2012. 

Telescópio IRAS - 1983
O Afélio de Nibiru e de aproximadamente 475 AU (unidades astronômicas) comparando com a de Plutão que é de 39,5 AU o planeta está 12 vezes a distância de plutão ao sol, ficando a maioria do tempo na região do cinturão de kuiper . Há 500 anos atrás o planeta Terra não se chamava "Terra'' e sim Tiamat! Tiamat ficava entre marte e Júpiter. O grande planeta Nibiru foi capturado pela força gravitacional do sistema solar e sua entrada no conjunto causou anomalias nas luas dos outros planetas. Nibiru colidiu com Tiamat e enormes fragmentos entraram na órbita da Terra. 

Um desses fragmentos veio a ser a Lua. As estimativas dizem que O planeta X tem  aproximadamente 50 vezes a massa da terra. O satélite IRAS( Infra- Red Astronomical Satellite) que ficou 10 meses em órbita no ano de 1983 captou o que seria a Estrela da morte Nêmesis   uma estrela Anã Vermelha , a companheira mortal do nosso SOL onde é o  local onde Nibiru orbita, que por coicidência é a irmã má do nosso mais novo companheiro o planeta Tyche.

Coicidências à parte o fato é que se de fato Nibiru possa ser Tyche, nos proximos meses qualquer um poderá vê-lo a olho nú, e em 2012 como um segundo sol no céu. 

Saiba mais:  >>O planeta X << 




0 Comentários:

Postar um comentário

Não serão permitidos comentários de baixo calão ou palavras levianas que possam incomodar e atrapalhar um trabalho sério como a Ufologia e a Astronomia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...